CONHEÇA O SEU CARRO

LUBRIFICANTE MOTOR

As principais funções do lubrificante são a redução da fricção para diminuir o consumo e melhorar o rendimento do motor, a protecção das peças mecânicas contra o desgaste e a corrosão, manter limpo o conjunto de peças do motor arrastando as impurezas que, finalmente, são eliminadas com a substituição do lubrificante, e contribuir para a libertação do calor gerado no motor.

Nem só a quilometragem deteriora o lubrificante do motor. O atrito interno das peças do motor gera, por desprendimento, resíduos metálicos abrasivos. Estes acabam por se misturar com o óleo dando-lhe esse tom meio negro que é visível na vareta que mede o nível do cárter. O filtro do óleo elimina, parcialmente, essas partículas mas vai perdendo eficácia com a utilização.

Igualmente, os sub-produtos derivados da combustão e da oxidação pelo contacto do óleo com o ar afectam o lubrificante, degradando as suas propriedades. Por isso, para assegurar a integridade mecânica do veículo, é importante mudar o filtro e o óleo de acordo com os intervalos recomendados pelo fabricante.

A diversidade de motores (no que se refere ao tipo de combustível, ao desempenho, às exigências de funcionamento, etc.) faz com que nem todos os óleos sejam apropriados para todos os motores. Para determinar o lubrificante apropriado para um determinado motor, deve ter-se em conta uma série de factores que têm duas classificações fundamentais: “Classificação em função da viscosidade” e “Classificação em função dos desempenhos mínimos do lubrificante”.

Classificação do lubrificante em função da viscosidade

A viscosidade do lubrificante é especificada através da classificação SAE (Sociedade de Engenheiros Americanos do automóvel)

Dois números separados pela letra W (Winter) definem as características de viscosidade do óleo a frio e a quente.

O primeiro número seguido da letra W define a viscosidade a frio - 10 W, 5 W, 0 W,… Quanto mais pequeno for o número, mais fluido é o lubrificante a frio.

O segundo número indica a viscosidade a quente, 30, 40, 50,… Quanto maior for o número, mais viscoso será o óleo a quente.

Por exemplo - 10 W-40 indicam a viscosidade do óleo medida a -18 graus e a 100 graus, nessa ordem. Faz-se, apenas, referência ao facto de o produto se comportar a frio como um SAE 10 e a quente como um SAE 40. Portanto, para uma maior protecção a frio dever-se-á recorrer a um óleo que tenha o primeiro número o mais baixo possível. Para obter um maior grau de protecção a quente, dever-se-á utilizar um óleo que possua um número elevado para a segunda.

A escolha correcta do grau de viscosidade do lubrificante é muito importante para preservar a duração do motor. Em climas frios, escolher um lubrificante fluido permite reduzir os desgastes do motor durante as fases de arranque, pois o óleo chega mais rapidamente a todas as peças do motor.

A classificação SAE não é um indicador da qualidade do óleo. A qualidade do óleo é dada pela classificação API.

Classificação do lubrificante em função da qualidade

Esta classificação define o lubrificante em função do grau de exigência a que se vai submeter o motor. Ou seja, classifica o nível de desempenho mínimo do lubrificante.

A regulação dos lubrificantes em função da qualidade é dada pela classificação API (American Petroleum Institute). Esta classificação diferencia entre motores a gasolina e motores a diesel.

Em óleos para motores a gasolina estabeleceu-se a letra "S" de “Spark” (vela em inglês) para relacionar com o princípio de ignição por faísca que se utiliza neste tipo de motores, seguida de uma das letras A, B, C, D, E, F, G, H, J, L, sendo maiores os requisitos de qualidade à medida que progride a letra do alfabeto. Na tabela seguinte, pode apreciar-se a evolução da classificação API dos óleos para motores a gasolina.

Em óleos para motores a diesel, a nomenclatura utiliza a letra "C" da palavra inglesa "Compression" (compressão), por se tratar de óleos para motores cujo princípio de ignição é a compressão, e uma letra em série alfabética, A, B, C, D, E, F, G, H, que representa a evolução do nível de qualidade.